O EMPREGO DO HÍFEN

 

 

 Agora, com a Nova Reforma Ortográfica, o emprego do hífen será obrigatório, quando:                                             

                                                                         

  •  O prefixo da palavra terminar em vogal,  desde que o termo subsequente comece com vogal idêntica:


Se antes era assim – microondas, microônibus, antiinflamatório, antiinflação.

 

Passou a ser assim – micro-ondas, micro-ônibus, anti-inflamatório, anti-inflação.

 

  •  Usa-se hífen, também, quando a palavra iniciar com o prefixo super e o termo subsequente começar com h ou r:

 

Ex.: super-homem, super-requintado, super-revista, super-riscado.

 

Observação: Constantemente, vemos o prefixo super ser usado, por muita gente, como se fosse um advérbio de intensidade. Por isso as pessoas escrevem, de maneira errônea: super macio, super bacana e super interessante. O certo é escrever superbacana, supermacio e superinteressante.

 

O uso do hífen, será obrigatório, também, nos seguintes casos:

 

  •  Quando a palavra iniciar com os prefixos inter ou hiper  e o segundo elemento começar com r:

 

Ex.: hiper-realismo, inter-racial, inter-relacionar, inter-resistente, hiper-rugoso.

 

  •  Se a palavra iniciar com o prefixos circum ou pan, desde que o elemento subsequente comece por vogal, h, m ou n:

 

Ex.: circum-ambiente, circum-hospital, circum-murado, circum-navegar,  pan-americano e pan-helênico.

 

  •  Quando a palavra iniciar com o prefixo mal, desde que o termo subsequente se comece por vogal, h, ou l.

 

Ex.: mal-educado,  mal-estar, mal-entendido, mal-humorado e mal-limpo. 

 

  •  Se a palavra iniciar com o prefixo sub, desde que o termo subsequente comece com as letras b, h ou r:

 

Ex.: sub-humano, sub-base, sub-bibliotecário, sub-reptício, sub-raça.

 

                                  

                                 O EMPREGO DO HÍFEN É PROIBIDO

 

- Quando o prefixo da palavra terminar em vogal e o termo subsequente começar com r ou s.  Nesse caso, dobramos apenas a consoante. 

 

Se antes era assim - contra-revolução, auto-relevo, auto-retrato, contra-senso,  semi-selvagem, mini-saia.

 

Agora é assim - contrarrevolução, autorrelevo, autorretrato, contrassenso, semiselvagem, minissaia.

 

- Quando o prefixo terminar em uma vogal e o termo subsequente iniciar por uma vogal dessemelhante, a palavra será escrita sem hífen.

 

- Se antes era assim - auto-estrada, auto-aprendizado, socio-econômico, infra-estrutura, intra-ocular.

 

- Passou a ser assim - autoestrada, autoaprendizado, socioeconômico, infraestrutura, intraocular.

                    

- O hífen também foi abolido nas formações em que nenhum dos elementos é substantivo, adjetivo, verbo ou numeral,  tais como: tão só e tão somente.  E também naqueles casos em que, entre os dois vocábulos, aparece um elemento de ligação, tais como: dia a dia, lua de mel, mão de obra e pé de moleque.

 

****************************************************************************************************

Finalizando, aí estão os principais prefixos (gregos e latinos)  usados na hifenização:

 

>> aero, agro, ante, anti, arqui, auto, bio, co, contra, eletro, entre, eco,  extra, ex, geo, hidro, hiper, inter, infra, macro, micro, mini, maxi, multi, neo, proto, pan, pseudo, pluri, retro, semi, sub, tele, ultra, super, supra, nuper, neuro, orto, sócio,  alfa,  mega, poli,  súpero, íntero e vice.

 

  • Permanece obrigatório o uso do hífen em palavras formadas a partir desses prefixos, quando o segundo elemento iniciar com h:

 

Ex.: anti-higiênico,  neo-helênico,  extra-hospitalar,  proto-histórico, sobre-humano,  pseudo- herói, ultra-humano, infra-hepático.