O JOGO DO FAZ DE CONTA​

   

    Quem ainda não conhece, vai conhecer: o jogo do faz de conta. Pra começar vou fazer de conta que escrevo bem e quem ler meu texto pode fazer de conta que gostou, fazer um comentário elogioso. Não vou me ofender, porque sei que tudo não passa de um jogo de palavras. 
   E pra jogar esse jogo, só se for dessa maneira, com muita  mentira  e  nenhuma verdade. É preciso ainda aceitar as coisas do jeito que elas são, e fingir que está tudo bem, mentindo para si mesmo - sem fazer nada pra mudar porcaria nenhuma. Eis outro segredo do jogo: fingir que tudo está correndo às mil maravilhas.
   E quem ainda não sabe jogar, que aprenda com o povo brasileiro. Aproveite que o carnaval está chegando, assista ao desfile das escolas de samba na Sapucaí e veja que povo feliz. Mas esse povo não é feliz à toa não. O motivo de toda essa alegria é que eles vivem no Brasil, onde tudo acontece sob o véu da mentira e da enganação. 
    Aqui os governantes fazem de conta que governam, mas só roubam. As pessoas fazem de conta que votam com consciência, mas não: boa parte delas mais parecem ratos, porque nem consciência elas têm - e por isso se vendem por um prato de cuscuz. 
    Se é assim na política, noutros setores não é diferente. Na educação o governo faz que paga, o professor faz que ensina e o aluno faz que aprende. Que coisa interessante! E tem mais: se o professor reivindicar melhor salário e melhores condições de trabalho, o governante manda a polícia descer o cacete no 'meliante'. É, por aqui o sistema também é bruto.
    No final, só quem se dá bem é a malandragem, principalmente os políticos. E quem paga a conta mesmo é o trabalhador. Esse, coitado, além de trabalhar muito, ganha um mísero salário, e ainda responde pela safadeza de quem não trabalha e só vive de falcatruas. 
    Mas se tudo é assim, também quero participar desse jogo, fingindo que estou muito feliz. Posso fazer ainda melhor: posso até me fingir de morto, só pra me aproveitar do coveiro. Mas isso, isso não combina com o meu perfil. E melhor é ficar por aqui. Porque se existe alguém que não gosta de se aproveitar dos outros, esse cara sou eu.

   José Oliveira 

"Há mais mistérios entre o céu e a terra do que a vã filosofia dos homens possa imaginar"

William Shakespeare

   Morava numa pensão, naquela época. Junto comigo mais três amigos, que não tinham a menor preocupação com o futuro, muito menos com o presente. A vida para eles era só uma festa, com muita bebida e muitas garotas. Nada mais que isso.

    Todos os sábados, na parte da manhã,  íamos jogar bola num campinho que ficava por trás da rodoviária. Numa dessas manhãs, aquele homem misteioso apareceu por lá.  Um dos amigos, quando o viu, foi logo dizendo

  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic